Nº. 1 of  207

Há descaminhos em meus passos

Gabriela Gonçalves
20
São Paulo,SP.Brasil
FACEBOOK ,Twitter

(Fonte: ventodemaio)

O que não desce é esse gosto intragável de amor que não deu certo.

—Gabriela G (via meusmelhoresbeijos)

Hoje cedo
quando eu acordei
e não te vi
eu pensei em tanta coisa.
Tive medo !
Ah como eu chorei .
Eu sofri em segredo
tudo isso
hoje cedo .

—Emicida

(via colorame)

(Fonte: rezende04)

Deu vontade de te escrever . Deu vontade de matar a saudade , das minhas linhas e de te encontrar nelas . Deu tanta vontade . Vontade de você , de mim, da gente . Que saudade que eu tenho da gente .

Não era fácil , não que algum dia tenha sido . Mas a cada dia sentia o peso da vida entalar em sua garganta , sentia as correntes em seus pés impedindo-a de seguir em frente .

Tudo era desconfortável, o sol, a luz , o calor , o ar .Preferia passar as tardes dormindo ,e quando dormia não sonhava . Era possível um ser humano não sonhar ? Preferiu não pensar em sonhos , não se iludir , preferiu ficar só com sua estranheza , com sua solidão , sempre vivera muito bem assim .

—Gabriela G

Se fosse só sentir saudade , mas tem sempre algo mais

—Legião Urbana

Elegia 1938

Trabalhas sem alegria para um mundo caduco,
onde as formas e as ações não encerram nenhum exemplo.
Praticas laboriosamente os gestos universais,
sentes calor e frio, falta de dinheiro, fome e desejo sexual.
Heróis enchem os parques da cidade em que te arrastas,
e preconizam a virtude, a renúncia, o sangue-frio, a concepção.
À noite, se neblina, abrem guarda-chuvas de bronze
ou se recolhem aos volumes de sinistras bibliotecas.
Amas a noite pelo poder de aniquilamento que encerra
e sabes que, dormindo, os problemas te dispensam de morrer.
Mas o terrível despertar prova a existência da Grande Máquina
e te repõe, pequenino, em face de indecifráveis palmeiras.
Caminhas entre mortos e com eles conversas
sobre coisas do tempo futuro e negócios do espírito.
A literatura estragou tuas melhores horas de amor.
Ao telefone perdeste muito, muitíssimo tempo de semear.
Coração orgulhoso, tens pressa de confessar tua derrota
e adiar para outro século a felicidade coletiva.
Aceitas a chuva, a guerra, o desemprego e a injusta distribuição
porque não podes, sozinho, dinamitar a ilha de Manhattan.

Carlos Drumond de Andrade

Nº. 1 of  207